MARKETING - Artigos

Olhe o entusiasmo!
(VendaMais, Fevereiro/2002)

“Caro leitor. Infelizmnte, hoje não estou me sentindo muito bem. Estou com uma bruta dor de cabeça e quse dormindo sobre a teclado. Sinceramente, não estou conseguindo cequer coordenar bem as idéias, por isso peço-lha desculpas pela qualidade deste artigo. Mas, de quaquer forma, convido você a lê-lo.”

Calma, calma. O texto acima é só uma brincadeira. Mas serve como um alerta. Fale sério, como você estava se sentindo em relação a mim e a este artigo, enquanto lia a introdução dele? Não tenha pena, pode confessar: a vontade de continuar a leitura era mínima, não é verdade? Pois bem, prepare-se para essa: pode ser que a reação que você teve com a introdução acima seja a mesma que seus clientes estão tendo com as apresentações que você tem feito sobre o seu produto, sua empresa ou suas idéias. E, assim como você ficou completamente desinteressado em prosseguir explorando o artigo, logo depois que leu a introdução, pode ser que seus clientes também estejam reagindo da mesma forma. Não tenha dúvida, com este tipo de apresentação o trabalho para a realização da venda fica muito mais difícil. O cliente vai criando uma série de barreiras mentais, e perdendo o entusiasmo em você e no produto. Pois não se assuste se eu lhe disser que essa situação, infelizmente, não é exceção, mas sim quase uma regra.

Jamais vou esquecer certo dia, quando cheguei a um hotel em Campinas-SP, e fui apresentado às instalações pelo mensageiro. A princípio, minha impressão tinha sido ótima do hotel, mas ele me apresentou primeiro o “restaurantizinho”, onde era servido o café da manhã. Depois, levou à área onde ficava a “piscininha”, que ficava ao lado do “deckzinho”, onde eu poderia, até às 22h00, pegar uma “sauninha”. Só aí eu percebi que eu estava mesmo era num “hotelzinho”, e não no belo hotel que eu tinha visto de inicio. Uma lástima!

Não estou defendendo que as apresentações de vendas devam ser mais coloridas que o rabo de um pavão. Isso, às vezes, pode até parecer falso e pegar mal para o cliente. Mas um mínimo de entusiasmo é fundamental para que o cliente sinta que está sendo valorizado e que está diante de alguém e de algo de valor. Mary Kay Ash dizia que “uma idéia medíocre que gera entusiasmo irá mais longe do que uma grande idéia que não inspira ninguém”. Ora, mas nenhuma idéia gerará entusiasmo se não for vendida ou apresentada com entusiasmo. Edward George Bulwer-Lytton, um escritor britânico, dizia que o entusiasmo é contagiante. Mas afinal de contas, o que é entusiasmo?

Segundo o Aurélio, o significado para entusiasmo pode ser, “na Antiguidade, exaltação ou arrebatamento extraordinário daqueles que estavam sob inspiração divina”. Meu Deus! É isso que está faltando aos nossos vendedores: inspiração divina, exaltação. O dicionário ainda esclarece outros significados para a palavra, como “viva alegria, júbilo, dedicação ardente, ardor, paixão, veemência, vigor no falar ou no escrever”. Lindo, lindo! Este é o tipo de profissional que nos contagia, que nos entusiasma. Agora, pare e observe, em primeiro lugar, você mesmo. Será que tem sido esse o seu comportamento? Se você é gerente, é com entusiasmo que você tem energizado seus vendedores? Se você é vendedor, analise-se.  Suas apresentações tem sido feitas cheias de entusiasmo?

Não se iluda. Se estiver faltando entusiasmo em suas apresentações, você não está produzindo o seu máximo. Você não está retirando todo o potencial que o Criador lhe concedeu. Acredite, você pode fazer muito mais. Mas, em primeiro lugar, você tem que estar profundamente entusiasmado com você mesmo. É impossível você desenvolver entusiasmo por algo ou alguém, sem antes estar perdidamente apaixonado por você. Por favor, não minta para si mesmo. Ninguém, além de Deus, pode acreditar mais em você do que você próprio. Se você quiser acreditar que tem inúmeras razões para estar apaixonado por si mesmo, você as encontrará. Da mesma forma, se você decidir não achá-las, você será incapaz de desenvolver entusiasmo em sua vida. Apaixone-se. Isso é contagiante. E produtivo. Faça de 2002 o ano da grande virada. Você merece isso!

Agora, compare o final deste artigo com o seu início. Você concorda que terminou muito melhor do que como começou? Pois, sabe qual a diferença? ENTUSIASMO. Compre essa idéia e vendas abençoadas e entusiasmadas para você!

Paulo Angelim
Consultor e palestrante nacional em marketing, vendas e motivação

pauloangelim@uol.com.br

 

 Permitida a reprodução, desde que mencionado o autor

Artigo anterior  Página anterior  Artigo seguinte